São Paulo
21°C
Rio de Janeiro
24°C
Brasília
18°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
21°C
Fortaleza
26°C
Recife
27°C
Manaus
27°C
Curitiba
20°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Venezuela vê provocação no envio de navio de guerra britânico à Guiana

Venezuela vê provocação no envio de navio de guerra britânico à Guiana

A região guianesa de Essequibo, rica em recursos naturais, é alvo de disputa com a Venezuela

por

Lara Tôrres

25 de dezembro de 2023

IG

O ‘HMS Trent’ partirá este mês para a Guiana, após o NatalDivulgação/Royal Navy

No domingo (24), o Reino Unido anunciou o envio de um navio militar para a Guiana, uma ex-colônia britânica que controla a região de Essequibo, alvo de uma longa disputa territorial com a vizinha Venezuela, que encarou a decisão como uma provocação.

Há mais de um século a Venezuela reivindica a soberania sobre Essequibo, um território de 160.000 km² rico em recursos naturais – especialmente o petróleo, descoberto em 2015, e a tensão cresceu quando Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, realizou um referendo consultando a população sobre a anexação de Essequibo no dia 3 de dezembro.

Atualmente a Guiana possui o controle total da região e argumenta que um tribunal de arbitragem em Paris estabeleceu as fronteiras em 1899, quando o país ainda era uma colônia britânica. 

O comunicado oficial do ministério da Defesa britânico declarou que “O ‘HMS Trent’ partirá este mês para a Guiana, nosso aliado regional e parceiro na Commonwealth, para uma série de compromissos na região”. A BBC informou que o navio deve participar de exercícios militares após o Natal, junto a outros aliados da Guiana, não especificados pela emissora britânica.

O ministro da Defesa da Venezuela, Vladimir Padrino López, reagiu à notícia por meio de sua conta oficial no X (antigo Twitter).

“Um navio de guerra em águas a serem delimitadas? E então? E o compromisso com a boa vizinhança e a convivência pacífica? E o acordo de não ameaçar e usar a força mutuamente em nenhuma circunstância?”. 

Ao citar um “compromisso de boa vizinhança”, Padrino López se referiu ao acordo assinado em 14 de dezembro, durante o primeiro encontro entre os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, e da Guiana, Irfaan Ali, promovido pelo Brasil para tentar mediar o conflito diplomático.

“Seguimos alertas a essas provocações que colocam em risco a paz e a estabilidade do Caribe e de nossa América!”, concluiu o chefe militar da Venezuela.

Essequibo Guiana HMS Trent Reino Unido Venezuela

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.