São Paulo
17°C
Rio de Janeiro
23°C
Brasília
23°C
Salvador
28°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
28°C
Recife
29°C
Manaus
25°C
Curitiba
13°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Protestos abalam turismo em Machu Picchu

Protestos abalam turismo em Machu Picchu

por

Flipar

4 de fevereiro de 2024

IG

Os últimos dias têm sido de tensão na cidade Inca de Machu Picchu, no Peru, por conta de protestos. As autoridades locais alertam que turistas devem evitar o destino após relato de diversas manifestações que começaram após a privatização das vendas de ingressos que dão acesso a Machu Picchu.
A cidade peruana é um patrimônio da humanidade (eleita uma das Novas Maravilhas do Mundo). E recebe milhares de visitantes todos os anos. Mas os protestos, que começaram em 25 de janeiro, impedem atividades turísticas por causa de bloqueios no transporte ferroviário, a principal forma de acesso ao Santuário.
Com isso, o turismo está sendo prejudicado, já que muitas pessoas vão até a cidade por suas belezas naturais que despertam a atenção, além de construções incas, tecidos e roupas coloridas que fazem parte de uma rica cultura que começou em 1420. A seguir, descubra mais curiosidades dessa história.
Um estudo recente mostrou que Machu Picchu é 20 anos mais velhas do que se imaginava. A nova pesquisa publicada no jornal científico Antiquity aponta que o local foi ocupado entre 1420 e 1530.
Em 1983, a cidade peruana foi declarada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Assim, suas riquezas naturais, culturais e históricas ganharam ainda mais reconhecimento mundial.
Machu Picchu é uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. A New Open World Corporation divulgou o nome o nome da cidade na lista em 7 de julho de 2007. Com isso, Machu Picchu se junto ao Cristo Redentor, no Brasil, A Grande Muralha da China, Petra, na Jordânia, Chinchén Itza, no México, O Coliseu, na Itália, e ao Taj Mahal, na Índia.
Há relatos de que havia uma trilha feita por indígenas que ligava o litoral de São Paulo até os Andes, onde ficava o império Inca. Elas se chamavam Peabirus. Uma história conhecida conta sobre o explorador espanhol Aleixo Garcia, que teria usado uma dessas trilhas, partindo a pé do litoral norte de São Paulo. Na chegada, lutou e saqueou o império.
As construções com pedras ainda geram questionamentos e mostram as habilidades do povo inca, considerado o mais avançado de todo o continente americano. O transporte das pedras até locais de elevada altitude e em meio à mata densa, além do encaixe perfeito e do sistema de irrigação e distribuição de água, são temas de pesquisas.
Machu Picchu foi construída pelos incas no século XV, no alto das Cordilheira dos Andes 2.430 metros acima do nível do mar, no vale do rio Urubamba. Ela foi levantada a mando do imperador Inca Pachacútec e sua altitude pode estar relacionada com a religiosidade do povo local, com o intuito de se aproximar dos deuses.
Apesar da colonização espanhola em 1531, a cidade de Machu Picchu não foi encontrada nesse período, sendo mantida no conhecimento apenas da população local. Ainda assim, grande parte da civilização inca que vivia em outros locais foi exterminada.
Machu Picchu conta com templos, palácios, casas e seus canais de água são feitos com rochas de granito, que são extremamente resistentes. A técnica usada nas construções é conhecida como Ashlar.
A cidade tem algumas divisões bem definidas, como as zonas rural e urbana, que são separadas por um muro, escadas e pelo fosso de escoamento de água. A zona agrícola tem terraços mais planos próprios para cultivo.
Quanto às estações do ano, os invernos em Machu Picchu são ensolarados, mas as noites são frias e chegam a marcar 0ºC. Durante o verão, os dias também costumam ter sol e ser quentes, com chuvas mais frequentes.
Machu Picchu possui alguns templos sagrados. O Templo do Sol é considerado um dos locais mais marcantes da cidade. Ele tem o formato de um edifício semicircular construído sobre uma rocha sólida onde uma caverna natural foi usada como túmulo real.
O Templo do Sol tem duas janelas, uma voltada para o norte e outra para o sul. Estudos realizados no século XX mostram que elas eram usadas para que os solstícios e equinócios fossem observados com precisão com base nas sombras que faziam nos dias 21 de junho e 21 de dezembro. Já foi uma área exclusiva, que só podia ser visitada pela família Sapa Inca.
O Templo da Lua é outro local muito visitado e fica mais precisamente em Huayna Picchu. Para chegar até o lugar onde eram realizadas cerimônias religiosas, é necessário subir a montanha por 1 hora e 50 minutos ao longo de 2km de caminhada.
O Templo do Condor é único e chama a atenção pela cabeça do Condor, esculpida em uma pedra. Ele foi feito para os incas estudarem o funcionamento do mundo e a Trilogia Andina sobre o mundo acima, este mundo e o mundo abaixo. Nele, há uma caverna que estudiosos acreditam ter sido usada como prisão.
O Templo Principal ou Wayrara tem três paredes retangulares e estima-se que era dedicado a uma âmpla liturgia. Ele seria oferecido ao deus, Wiracocha, que os incas acreditavam ser o responsável pela criação do universo.
O Templo das 3 Janelas pode ser considerado o mais importante de Machu Picchu. Ele tem uma envergadura de 12 metros de largura por 5 metros de altura e também tem três paredes com vista para o Templo Principal.
O Intihuatana é uma rocha esculpida que gera diferentes sombras de acordo com o movimento do sol. Ela ajudava a entender as estações do ano e a fazer previsões usadas na época da semeadura. Alguns turistas dizem que a pedra emite uma forte energia e que visitam o local com o intuito de tocá-la.
Novas

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.