São Paulo
17°C
Rio de Janeiro
23°C
Brasília
23°C
Salvador
28°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
28°C
Recife
29°C
Manaus
25°C
Curitiba
13°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Mário Sarrubbo assume Secretaria Nacional de Segurança Pública

Mário Sarrubbo assume Secretaria Nacional de Segurança Pública

A nomeação do ex-procurador-geral de Justiça de São Paulo foi oficializada no Diário Oficial da União desta terça-feira (5)

por

iG Último Segundo

5 de março de 2024

IG

Mário Sarrubbo, novo secretário nacional de Segurança PúblicaDivulgação / Estado de SP

O ex-procurador-geral de Justiça de São Paulo Mário Sarrubbo foi nomeado nesta terça-feira (5) para assumir oficialmente a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). A escolha do ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, foi publicada no Diário Oficial da União e assinada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT).

Para assumir a Secretaria, Sarrubbo se aposentou do cargo no Ministério Público, onde estava desde 1988. O ex-procurador-geral já havia sido confirmado em janeiro como o nome a assumir a pasta, conforme noticiou o Portal iG à época.

Mário Sarrubbo chegou em Brasília nessa segunda-feira (4) e deu início às articulações para montar sua equipe, que deve apresentar nomes que atuaram no Ministério Público, segundo informações da CNN.

O novo secretário assume em meio à primeira fuga de detentos do Presídio de Segurança Máxima de Mossoró (RN), administrado pelo Ministério da Justiça, e no momento em que a Operação Verão assume o posto como a segunda mais letal da história de São Paulo, atrás somente do Massacre do Carandiru, de 1992. 

O governo federal estuda a hipótese de ampliar o uso das câmeras corporais para policiais em todo o país. Sarrubbo já demonstrou ser entusiasta do equipamento. “A letalidade policial é muito reduzida com a câmera, assim como a letalidade do policial também é reduzida”, afirmou.

Ele também abordou a política de armas de fogo no Brasil, defendendo a posse mais restrita dos armamentos. “Seguramente, tenho absoluta convicção de que as armas de fogo têm que ser restritas nas mãos de policiais e para algumas pessoas que apresentem necessidades, como um morador de lugar ermo, que mora no campo, etc”, defendeu. “Na minha opinião, temos que avançar nessa questão, uma política importante”.

Mário Sarrubbo Ministério da Justiça Mossoró Ricardo Lewandowski Secretaria Nacional de Segurança Pública Senasp

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.