São Paulo
26°C
Rio de Janeiro
28°C
Brasília
29°C
Salvador
32°C
Belo Horizonte
28°C
Fortaleza
31°C
Recife
33°C
Manaus
28°C
Curitiba
24°C
Porto Alegre
30°C
Home >> Último Segundo >> Manifestantes protestam contra fome em unidades do Carrefour; entenda

Manifestantes protestam contra fome em unidades do Carrefour; entenda

Atos são organizados pelo MLB e aconteceram em diversas capitais do Brasil neste sábado (9)

por

Ana Carolina Montoro, Dimítria Coutinho

9 de dezembro de 2023

IG

Manifestações aconteceram em várias unidades do Carrefour neste sábadoReprodução/Instagram – 09.12.2023

Manifestantes ocuparam unidades da rede de supermercados Carrefour neste sábado (9) para protestar contra a fome e a miséria. Os atos foram organizados pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), ligado ao partido Unidade Popular (UP), e aconteceram em diversas cidades do Brasil.

Imagens das manifestações tomaram conta das redes sociais, e o assunto se tornou um dos mais comentados no X, antigo Twitter.

De acordo com o MLB, o objetivo das manifestações é “denunciar a falta de acesso à alimentação adequada das famílias pobres durante o Natal”. Os atos fazem parte da campanha “Natal sem Fome”, organizada anualmente pelo movimento.

Durante os atos, os manifestantes pediram cestas básicas para a campanha. “Sem cestas, nós não saímos daqui”, disse uma das líderes no ato realizado em uma unidade do Carrefour no Sergipe. “Com luta, com garra, a cesta sai na marra”, entoaram os manifestantes.

Porque o Carrefour

O grupo realiza manifestações como as vistas hoje em supermercados desde a pandemia de Covid-19, que começou em 2020, com o objetivo de chamar atenção para o valor da cesta-básica comparados ao salário mínimo, desperdicio de comida, principalmente de grandes redes alimentícias. 

Nas redes sociais, o MLB explicou que o Carrefour foi escolhido como local das manifestações porque a “rede de hipermercados francesa se notabilizou, nos últimos anos, por casos de racismo, homofobia, agressão, violência moral e humilhação e até de homicídio”.

“O Carrefour carrega nas mãos o sangue de João Alberto, homem negro que foi espancado e asfixiado até a morte em uma loja da rede em Porto Alegre. E quem não se lembra do caso do Seu Moisés, promotor de vendas do Carrefour de Recife, que faleceu durante o trabalho e teve seu corpo coberto por guarda-sóis até o fim do expediente?!”, questiona o movimento.

Procurado pela reportagem, o Carrefour afirmou que recebeu com surpresa as manifestações deste sábado.

“Informamos que o Grupo Carrefour sempre manteve diálogo aberto com as lideranças do movimento, com o qual tem contribuído anualmente, toda vez que as respectivas lideranças nos procuraram.

A decisão pela realização de manifestações no dia de hoje nos surpreendeu, uma vez que este ano não fomos procurados pelo movimento. O combate à fome e à desigualdade é um dos pilares prioritários do Grupo, compromisso mantido com inúmeros parceiros que têm dialogado com a empresa de forma permanente, em todas as regiões do País. Somente este ano doamos mais de 3.600 toneladas de alimentos, equivalente a mais de 14 milhões de refeições complementares”, diz a empresa, em nota.

Reperussão nas redes sociais

No X, o termo “Carrefour” passou tarde entre os mais comentados, com diversos vídeos sendo exibidos dos manifestantes nas lojas espalhadas pelo Brasil. Há imagens e Natal (RN), Recife (PE), Santo André (SP), Porto Alegre (RS).

A repercussão alcançou pessoas favoráveis e contrárias aos movimentos. Entre os que questionam a motivação dos atos, há menções sobre as promessas de campanha do presidente Lula a respeito do combate à fome. 

Ué, “Todes” não estão comendo picanha e tomando uma cervejinha?

Se a moda pega….

Carrefour Natal -RN pic.twitter.com/lSSO3EDc3J

— Elisa Brom (@brom_elisa) December 9, 2023

Carrefour MLB protestos em lojas do carrefour

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.