São Paulo
17°C
Rio de Janeiro
23°C
Brasília
23°C
Salvador
28°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
28°C
Recife
29°C
Manaus
25°C
Curitiba
13°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Lula volta a criticar Israel: 'Quer acabar com os palestinos em Gaza'

Lula volta a criticar Israel: 'Quer acabar com os palestinos em Gaza'

Presidente lamenta 'genocídio' e repudia ações do governo de Benjamin Netanyahu no Oriente Médio

por

iG Último Segundo

27 de fevereiro de 2024

IG

Secretário de Estado dos EUA visita Lula em meio a polêmica com IsraelRicardo Stuckert/Divulgação

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a criticar os ataques feitos por Israel na Faixa de Gaza. Após chamar as investidas do governo israelense de “genocídio” e compará-las ao Holocausto, o presidente da República reafirmou seu posicionamento.

“O governo de Israel quer efetivamente acabar com os palestinos na Faixa de Gaza. É isso. É exterminar aquele espaço territorial com o povo palestino para que eles ocupem. Não tem outra explicação”, disse Lula, em entrevista ao canal “RedeTV”.

“É só você ler o depoimento dos Médicos Sem Fronteiras… Pega depoimento da Cruz Vermelha. Pega criança dizendo que prefere morrer do que ser tratada do jeito que estão sendo tratadas, sem anestesia. Isso é genocídio ou não é genocídio?”, acrecentou. 

Lula se tornou “persona non grata” em Israel após dizer que as ações do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu podem ser comparadas com as de Adolf Hitler na 2ª Guerra Mundial. 

Mesmo com a repercussão negativa em Israel e os ataques feitos pela oposição, Lula manteve seu posicionamento e lamentou as mais de 29 mil mortes de palestinos em Gaza. “Eu considero um genocídio porque é um Exército amplamente armado atacando uma parte da sociedade indefesa”, comentou o chefe do Executivo. 

Na entrevista, Lula também afirmou que não esperava a compreensão de Netanyahu. “Eu não esperava que o governo de Israel fosse compreender. Eu não esperava, porque eu conheço o cidadão historicamente há algum tempo, eu sei o que ele pensa ideologicamente”, acrescentou, fazendo referência ao premiê israelense. 

Lula também fez questão de explicar que jamais ofendeu os judeus. “Nunca misturo a atitude de um povo com a atitude de um governante. E o que eu quero dizer em alto e bom som é o seguinte: o primeiro-ministro de Israel está praticando genocídio contra mulheres e crianças”, reiterou. 

O petista ainda lembrou que condenou os ataques feitos pelo Hamas no dia 7 de outubro de 2023. Porém, Lula frisou que seria hipócrita caso não fizesse o mesmo com os bombardeios de Israel.

“A gente não pode ser hipócrita de achar que uma morte é diferente da outra”, disse. “Eu não posso condenar o gesto terrorista do Hamas e ver o Estado de Israel (…) fazendo com inocentes as mesmas barbaridades”, completou.

Pedido de impeachment

Após a repercussão das falas, Lula viu mais de cem deputados assinarem um pedido de impeachment contra ele. Segundo os parlamentares, o presidente da República teria cometido crime de responsabilidade com as declarações. 

O pedido, entretanto, deverá ser arquivado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Aliados de Lula, ao mesmo tempo, não acreditam que um processo de impeachment possa ser realizado neste momento.

Benjamin Netanyahu Faixa de Gaza Gaza Israel Lula

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.