São Paulo
19°C
Rio de Janeiro
22°C
Brasília
19°C
Salvador
25°C
Belo Horizonte
18°C
Fortaleza
27°C
Recife
26°C
Manaus
27°C
Curitiba
16°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Japão: terremoto pode ter deslocado o solo em até 1,3 metro

Japão: terremoto pode ter deslocado o solo em até 1,3 metro

Diversas regiões registraram deslocamento do solo após os tremores dessa segunda (1º)

por

iG Último Segundo

2 de janeiro de 2024

IG

Terremoto no Japão levou ao desabamento de prédios e casas pelo paísReprodução/X @NHKWORLD_News – 2.01.2024

O terremoto que atingiu a província de Ishikawa, no Japão, nessa segunda-feira (1º) pode ter deslocado o solo em até 1,3 metro, de acordo com informações da mídia estatal NHK. As alterações teriam sido registradas na cidade de Wajima.

A região registrou um desvio de mais de 1 metro para o oeste, de acordo com a Autoridade de Informação Geoespacial do Japão com base em dados preliminares de GPS.

Uma mudança semelhante foi observada na cidade de Anamizu e na cidade de Suzu. Além disso, em Nanao, uma parte do solo se movimentou 60 centímetros para noroeste, em direção à costa do mar. O solo ainda se moveu 20 centímetros no mesmo sentido nas províncias de Toyama e Niigata.

A série de terremotos que atingiu o Japão deixou ao menos 50 mortos, de acordo com informações das autoridades japonesas divulgadas pela TV pública local NHK.

Ontem, os tremores aconteceram por volta das 16h10 do horário local (4h10, em Brasília). Segundo a TV japonesa NHK, ondas de 1,20 metro foram documentadas em Wajima, cidade próxima ao epicentro do abalo.

Além do Japão, a Rússia, Coreia do Norte e Coreia do Sul também emitiram alertas para tsunami.

Autoridades japonesas recomendaram que os moradores da região atingida pelo terremoto devem ficar em alerta para o risco de novos grandes tremores.

As chances de um outro terremoto de magnitude próxima à registrada ontem ocorrer na próxima semana é de 10% a 20%, segundo um funcionário da Agência Meteorológica Japonesa (JMA).

abalos Ishikawa Japão terremoto tremores

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.