São Paulo
18°C
Rio de Janeiro
21°C
Brasília
13°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
16°C
Fortaleza
24°C
Recife
25°C
Manaus
26°C
Curitiba
16°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Israel nega que pretende deslocar palestinos para fora de Gaza

Israel nega que pretende deslocar palestinos para fora de Gaza

O ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Ayman Safadi, acusou Israel de estar expulsar palestinos de Gaza

por

Ansa

11 de dezembro de 2023

IG

Um homem palestino de Gaza em frente à sua casa destruída na área de Al Remal, em GazaMarwan Sawwaf/ Alef Multimedia/ Oxfam – 14/10/2023

O governo israelense negou os supostos planos para retirar a população palestina para fora da Faixa de Gaza, informou Eylon Levy, porta-voz do premiê Benjamin Netanyahu.

A declaração é dada após o ministro das Relações Exteriores da Jordânia, Ayman Safadi, afirmar que Israel estava implementando uma política para expulsar os palestinos de Gaza por meio de uma guerra que, segundo ele, atende à “definição legal de genocídio”.

Em seu discurso em Doha, Safadi denunciou “o esforço sistemático de Israel para esvaziar Gaza de seu povo” e reforçou que o país liderado por Netanyahu está cometendo uma “assassinato de pessoas inocentes”.

No entanto, Levy enfatizou que essas informações são “acusações escandalosas e falsas” e explicou que Israel apenas encorajou a população de Gaza a abandonar as principais áreas de combate, mas não a própria Faixa.

Hoje, o alto representante da União Europeia (UE) para Política Externa, Josep Borrell, alertou que “os palestinos não devem ser expulsos, mas é difícil quando as pessoas fogem e procuram refúgio, dado que já não existem portos seguros em Gaza”.

Borrell lamentou também que “os Estados Unidos vetaram a proposta da ONU para uma trégua”, afirmando que agora será preciso garantir pausas humanitárias. “Agora tempos de chegar a um acordo, pelo menos, sobre pausas para garantir que a ajuda humanitária entre em Gaza”, concluiu ele.

As declarações são dadas no dia em que o governo de Israel intensificou os ataques contra a parte sul da Faixa de Gaza, depois que o grupo fundamentalista islâmico Hamas disse que todos os reféns sequestrados seriam mortos.

O enviado especial da Rússia para o Oriente Médio, Mikhail Bogdanov, inclusive, manteve conversações com várias facções palestinas, incluindo o Hamas, ressaltando a necessidade da cessação das hostilidades e da libertação imediata dos reféns.

De acordo com o Ministério das Relações Exteriores de Moscou, Bogdanov conversou com representantes da OLP, da Frente Popular para a Libertação da Palestina e com o vice-presidente do Politburo do Hamas, Musa Abu Marzouk.

“O lado russo confirmou a sua posição sobre a necessidade de uma cessação das hostilidades e de uma solução imediata para todos os problemas humanitários, incluindo a libertação dos reféns”, concluiu o enviado russo.

Faixa de Gaza Hamas Israel Oriente Médio palestinos

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.