São Paulo
22°C
Rio de Janeiro
26°C
Brasília
22°C
Salvador
29°C
Belo Horizonte
22°C
Fortaleza
29°C
Recife
29°C
Manaus
25°C
Curitiba
20°C
Porto Alegre
27°C
Home >> Último Segundo >> Equador declara 'conflito armado interno' após dias de violência

Equador declara 'conflito armado interno' após dias de violência

Presidente do país, Daniel Noboa, emitiu o decreto nesta tarça-feira (9), para combater facções criminosas e a escalada de violência interna

por

iG Último Segundo

9 de janeiro de 2024

IG

Daniel Noboa, presidente do Equador, decretou estado de exceção em todo o paísIsaac Castillo-Presidencia del Ecuador – 16.12.2023

Com a escalada de violência no Equador, o presidente Daniel Noboa decretou nesta terça-feira (9) “conflito armado interno” no país.

A medida autoriza a intervenção do Exército e da Polícia Nacional contra facções criminosas, e também identifica como organizações terroristas 22 facções criminosas e “atores beligerantes não estatais”, assim como determina às Forças Armadas a execução de operações militares para “neutralizar” os grupos criminosos, “respeitando os direitos humanos”.

He firmado el decreto ejecutivo declarando Conflicto Armado Interno e identifiqué a los siguientes grupos del crimen organizado transnacional como organizaciones terroristas y actores no estatales beligerantes: Águilas, ÁguilasKiller, Ak47, Caballeros Oscuros, ChoneKiller,… pic.twitter.com/rVfSTFmHlG

— Daniel Noboa Azin (@DanielNoboaOk) January 9, 2024

Crise de segurança pública

O Equador vive uma crise de segurança há dois dias. O presidente Noboa decretou na segunda (8) estado de exceção, depois da fuga da prisão de um criminoso conhecido como Fito, chefe do grupo Los Choneros. O decreto segue em vigor.

Nesta terça-feira (9), as autoridades relataram a fuga de outro criminoso: Fabricio Colón Pico, um dos líderes de Los Lobos, preso na sexta-feira (5) pelo crime de sequestro e por sua suposta responsabilidade em um plano para assassinar a procuradora-geral do país.

Sete policiais foram sequestrados já durante o período de estado de exceção. Os sequestros aconteceram nas cidades de Machala e Quito e na província de Los Rios. 

Além dos sequestros de agentes na noite de segunda-feira (8), houve explosões na província de Esmeraldas. Várias pessoas lançaram um artefato explosivo perto de uma delegacia e dois veículos foram queimados em outros locais, sem deixar vítimas.

Em Quito, um veículo explodiu e um dispositivo foi detonado perto de uma ponte de pedestres. O prefeito Pabel Muñoz pediu ao Executivo a “militarização” de instalações estratégicas ante a “crise de segurança sem precedentes”.

Equador violência interna contra facções criminosas

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.