São Paulo
29°C
Rio de Janeiro
28°C
Brasília
28°C
Salvador
31°C
Belo Horizonte
27°C
Fortaleza
31°C
Recife
32°C
Manaus
27°C
Curitiba
29°C
Porto Alegre
28°C
Home >> Último Segundo >> 'Dificilmente volto para disputar uma eleição', diz Ciro Gomes

'Dificilmente volto para disputar uma eleição', diz Ciro Gomes

Político teve sua pior derrota nas eleições de 2022

por

iG Último Segundo

30 de dezembro de 2023

IG

Ciro Gomes José Cruz/Agência Brasil – 06/08/2018

O ex-governador do Ceará e ex-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), afirmou que não irá concorrer a uma eleição novamente. No pleito de 2022, ele ficou em quarto lugar, não chegando ao segundo turno. Esta foi a quarta disputa que o pedetista participou pelo cargo de presidente, alcançando 3,05% dos votos.

Ciro afirmou que está perdendo a crença no que ele chama de “democracia eleitoral” no Brasil, e que a “República está apodrecendo”.

“Eu sou político, mas eu perdi um pouco a crença na linguagem eleitoral brasileira. O que me causou constrangimento e me fez perder a crença da minha vontade de disputar minhas ideias eleitoralmente são as minhas mediações. Como eu vou explicar pro povão se não tiver um conjunto de pessoas equipadas pelo privilégio de serem artistas, intelectuais, cientistas, líderes estudantis, lideranças sindicais… E por regra, essa gente toda está batendo palma para a destruição do meu país, para o apodrecimento da República. De repente o cinismo perdeu o pudor. “Ah, mas o Congresso é assim…” Que conversa é essa?”, disse Gomes em entrevista ao jornalista Mario Sergio Conti.

Ciro Gomes disputou as eleições presidenciais nos anos de 1998, 2002, 2018 e 2022. Seu melhor desempenho foi em 2018, quando registrou 12,47% dos votos válidos, ficando em terceiro lugar.

Em 2002, Ciro teve 11,97% dos votos válidos, ficando em quarto lugar. Em 1998, ele alcançou 10,97% dos votos, terminando em terceiro lugar na época.

O ex-governador também afirmou que o chefe do Executivo, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), “perdeu o pulso” ao negociar e tentar “conciliação com o inconciliável”, referindo-se as tentativas de aliança com o Centrão.

Ciro disse ainda que se sente aliviado pela saída de Jair Bolsonaro da Presidência, mas afirmou que o Brasil ainda tem problemas.

“Eu sinto renovado, um alívio em relação ao que tínhamos (referindo-se ao governo Bolsonaro), mas se nós ficarmos amarrados a essa referência trágica do passado, nós não vamos perceber corretamente o tamanho do problema que o Brasil tem por resolver. Essa é minha grande frustração”, disse Ciro Gomes.

Ciro Gomes eleições presidente da república

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.