São Paulo
14°C
Rio de Janeiro
21°C
Brasília
22°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
26°C
Recife
26°C
Manaus
26°C
Curitiba
10°C
Porto Alegre
14°C
Home >> Último Segundo >> COP28: Marina Silva pede linguagem clara sobre combustíveis fósseis

COP28: Marina Silva pede linguagem clara sobre combustíveis fósseis

Segundo a ministra do Meio Ambiente do Brasil, o relatório final do encontro apresenta opções, mas está mais fraco que os rascunhos anteriores

por

iG Último Segundo

11 de dezembro de 2023

IG

Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva Lula Marques/ Agência Brasil – 27/11/2023

Nesta segunda-feira (11), a ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima do Brasil, Marina Silva, fez seus comentários durante a cúpula climática da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP28. Segundo ela, o relatório que está sendo produzido pautado nas discussões do encontro precisa adotar uma linguagem “clara e forte” sobre o uso de combustíveis fósseis.

Marina diss: “A métrica do sucesso da COP depende da linguagem em relação aos combustíveis fósseis. É preciso uma linguagem clara em relação a essa questão para viabilizar os meios para a adoção de energias renováveis e os meios para tirar o pé do acelerador dos combustíveis fósseis”.

Dentre os principais responsáveis pela emissão de gases poluentes, que agravam o efeito estufa, levando ao aquecimento global, estão o carvão mineral, gás e petróleo.

A tese de que os países precisam abandonar o uso de combustíveis fósseis, ou ao menos diminuir o uso, é altamente defendido por uma parte da sociedade civil e por alguns países participantes da COP28. O Brasil, no entanto, defende uma diminuição do uso de tais combustíveis em breve, sendo necessário que os países mais ricos iniciem a adoção de tais políticas.

A ideia brasileira visa permitir que os países em desenvolvimento — incluindo o Brasil — possam continuar explorando e usando o petróleo por mais um tempo. Isso porque os países mais ricos possuem um histórico de maior emissão de gases poluentes e por terem mais recursos financeiros e tecnológicos para uma transição energética. “Os países desenvolvidos precisam liderar essa corrida”, disse Marina.

Entretanto, o documento que está sendo escrito pela COP28 traz diversas opções para a redução da emissão de gases poluentes, mas não para chegar a uma “eliminação gradual” dos combustíveis fósseis.

Marina Silva ressalta ainda que são importantes para o sucesso da COP que a agenda de adaptação e as ambições para a mitigação tenham um progresso.

Para o secretário-executivo do Observatório do Clima, Márcio Astrini, as discussões trazidas no texto são “um retrocesso ao que vem sendo debatido até agora”, tendo como comparação os rascunhos anteriores. “Antes a gente tinha menções claras ou pelo menos propostas de menções claras ao phase out de combustíveis fósseis. Algumas com certa linguagem mais explícita, outras mais conservadoras. Essa linguagem existia e essa linguagem saiu do texto”.

Combustíveis Fósseis COP28 Discurso Dubai Emirados Árabes Gases Marina Silva

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.