São Paulo
22°C
Rio de Janeiro
26°C
Brasília
22°C
Salvador
29°C
Belo Horizonte
22°C
Fortaleza
29°C
Recife
29°C
Manaus
25°C
Curitiba
20°C
Porto Alegre
27°C
Home >> Último Segundo >> COP28: Marina diz que países ricos devem liderar abandono do petróleo

COP28: Marina diz que países ricos devem liderar abandono do petróleo

Ministra defendeu que nações mais ricas comecem o processo de transição para fontes de energia limpa

por

iG Último Segundo

9 de dezembro de 2023

IG

Ministra do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Marina Silva Lula Marques/ Agência Brasil – 27/11/2023

Na manhã deste sábado (9), a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, pediu que os países em desenvolvimento assumam a liderança de um processo para deixar de lado o uso do petróleo e de outros combustíveis fósseis. A fala da ministra se deu na plenária da COP28, que acontece em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Na ocasião, Marina também afirmou que o sucesso da COP30, prevista para ocorrer me Belém (PA), em 2025, depende dos resultados da conferência atual.

“Se por um lado é clara a necessidade de que todos os países coloquem o pé no acelerador das energias renováveis, por outro, precisamos fazer inadiável e simultâneo esforço de países produtores e consumidores para tirar o pé do acelerador das energias fósseis. O esforço é de todos, mas os países desenvolvidos devem liderar este processo de desaceleração”, afirmou.

No discurso, a líder da pasta do Meio Ambiente reforçou o posicionamento do governo brasileiro, que defende que os países ricos sejam os primeiros a cortar a produção e consumo de petróleo.

Como já foi dito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em outras ocasiões, o posicionamento defende que as nações mais ricas devem tomar o primeiro passo por serem, historicamente, as que mais emitiram gases do efeito estufa e por deterem mais recursos e tecnologias que peritem uma transição mais rápida para fontes de energia limpa.

Hoje, a ministra também defendeu a criação de um órgão específico para se responsabilizar por esse processo de transição.

“Penso ser fundamental criar na esfera da UNFCCC, instância de discussão e negociação para tratar desse tema com a requerida urgência. As respostas que levam em conta as diferenças e circunstâncias nacionais e as alternativas de desenvolvimento social e econômico, principalmente para os mais fragilizados”, acrescentou.

Na ocasião, Marina ainda falou sobre a COP que o Brasil irá receber em dois anos.

“Em 2025, o Brasil receberá a COP30, na cidade de Belém. O sucesso desse encontro dependerá de conseguirmos aqui na COP28 aprovar um Balanço Geral alinhado com 1,5ºC em todas as suas dimensões: nas ações pré-2030, nas recomendações para as futuras NDCs, no compromisso dos novos financiamentos e meios de implementação e em um Objetivo Global de Adaptação condizente com os riscos reais, sobretudo para as populações mais vulneráveis”, afirmou.

Belém Brasil COP COP28 COP30 Dubai Emirados Árabes Marina Marina Silva Meio Ambiente países ricos Pará petróleo

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.