São Paulo
16°C
Rio de Janeiro
21°C
Brasília
18°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
26°C
Recife
27°C
Manaus
26°C
Curitiba
12°C
Porto Alegre
14°C
Home >> Último Segundo >> Carne de cachorro: Coreia do Sul aprova lei que proíbe abate e venda

Carne de cachorro: Coreia do Sul aprova lei que proíbe abate e venda

Texto recebeu o apoio do presidente do país e da primeira-dama; lei prevê punição de três anos de prisão e pagamento de multa para quem descumprir a medida

por

iG Último Segundo

9 de janeiro de 2024

IG

Cachorros criados para o abate na Coreia do SulReprodução

Nesta terça-feira (9), o Parlamento da Coreia do Sul aprovou uma lei que proíbe a criação, o abate e a venda de cães para o consumo de carne. A prática é tradicional no país e encerra uma tradição de anos de abate nacional.

O projeto teve 208 votos a favor e nenhum contra na Assembleia Nacional, e entrará em vigor após uma espera de três anos, quando receber a aprovação final do presidente Yoon Suk Yeol.

O texto ainda prevê que criar e matar, assim como vender a carne de cachorros para consumo, terá uma punição de três anos de prisão ou multas de até 30 milhões de won (cerca de US$ 23 mil, que equivale a aproximadamente R$ 112 mil).

Tradição na Coreia do Sul, o consumo de carne de cachorro faz parte da culinária do país há anos e a estimativa é que cerca de um milhão de cães sejam consumidos anualmente. Recentemente, no entanto, o número sofreu drástica redução devido à crescente adoção dos cães como animais de estimação.

Com isso, os ativistas de direitos dos animais aumentaram a pressão sobre o governo para que a prática fosse proibida. Eles contaram como o apoio do presidente Yoon e pela primeira-dama Kim Keon Hee, que é uma crítica aberta do consumo de carne canina.

“A maioria dos cidadãos coreanos rejeita comer cães e quer ver este sofrimento restrito aos livros de história, e hoje os nossos políticos agiram decisivamente para tornar isto uma realidade”, disse o diretor executivo da Humane Society International/Korea, JungAh Chae, em comunicado.

Pesquisa divulgada por uma organização de bem-estar animal nessa segunda (8) mostra que nove em cada 10 pessoas na Coreia do Sul disseram que não comeriam carne de cachorro no futuro.

Agricultores que criavam o animal para consumo, porém, mostravam-se contra as tentativas anteriores de proibição de consumo. A estimativa é que cerca de 1.100 fazendas criam milhares de cães todos os anos para serem servidos em restaurantes em todo o país, de acordo com o governo sul-coreano.

cachorro cães carne de cachorro Coreia Coreia do Sul lei tradição

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.