São Paulo
20°C
Rio de Janeiro
25°C
Brasília
20°C
Salvador
27°C
Belo Horizonte
21°C
Fortaleza
26°C
Recife
28°C
Manaus
27°C
Curitiba
18°C
Porto Alegre
22°C
Home >> Último Segundo >> 'Capitán Pico': líder de facção criminosa foge de prisão no Equador

'Capitán Pico': líder de facção criminosa foge de prisão no Equador

Criminoso escapou da prisão durante estado de exceção decretado pelo presidente do país, Daniel Noboa

por

iG Último Segundo

10 de janeiro de 2024

IG

Fabricio Colón Pico, um dos líderes da facção Los Lobos, do Equador, também escapou da prisão em meio à onda de violência que assola o paísDivulgação / Polícia do Equador

Em meio à onda de violência que atinge o Equador desde a última segunda-feira (8), Fabricio Colón Pico, um dos principais nomes da facção Los Lobos, conseguiu escapar do presídio de Riobamba nessa terça (9). 

Antes dele, José Adolfo Macías, conhecido como Fito, líder do grupo criminoso Los Choneros, desapareceu da prisão em que ele estava detido, segundo informado pelas autoridades no último domingo (7). A fuga de Fito levou o Equador a uma situação de emergência.

Na segunda, um vídeo em que Colón Pico aparece exigindo não ser transferido para uma prisão de segurança máxima começou a circular nas redes sociais. No dia seguinte, criminosos usaram dinamites, armas de fogo e pedras para fugir da prisão.

Conhecido como Capitán Pico, ele fugiu da instituição com outros 38 detentos. As autoridades informaram que doze pessoas deste grupo já foram capturadas, mas Pico ainda tem o paradeiro desconhecido.

Quando o grupo escapou da prisão, o presidente do país, Daniel Noboa, já havia decretado o estado de exceção no Equador. A decisão foi tomada após a fuga de Fito, criando toque de recolher e restringindo direitos de reunião, privacidade de domicílio e de residência. Com isso, as Forças Armadas também foram autorizadas a apoiar o trabalho da polícia.

Nessa terça, Noboa também decretou conflito armado interno na tentativa de controlar a situação do país, declarando que as Forças Armadas devem “neutralizar” 22 grupos criminosos, que são agora considerados “organizações terroristas”.

Ainda, a decisão determina que as operações ocorram com base no Direito Internacional Humanitário e de modo que respeite os direitos humanos.

Colón Pico é investigado em um caso de sequestro que aconteceu meses atrás, mas ele estava preso há cerca de uma semana. De acordo com informações da agência de notícias EFE, uma operação do Ministério Público e da polícia de Quito encontrou três carros de luxo (sendo um deles blindado), dinheiro e munições durante a prisão de Pico.

O criminoso, segundo a procuradora-Geral do Equador, Diana Salazar, foi identificado como o responsável por planejar seu assassinato.

Depois que ele foi preso durante a operação, Noboa solicitou que Pico fosse transferido para uma prisão de segurança máxima e que a segurança da procuradora e de sua família fosse reforçada.

A movimentação dos presos contribuiu, de acordo com o jornal local Extra, citando fontes policiais, para as rebeliões e tumultos em presídios espalhados pelo país.

Colón Pico crime Daniel Noboa Equador facção criminosa fito Los Lobos narcotráfico Noboa onda de violência Pico Sequestro Violência

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.