São Paulo
19°C
Rio de Janeiro
22°C
Brasília
19°C
Salvador
25°C
Belo Horizonte
18°C
Fortaleza
27°C
Recife
26°C
Manaus
27°C
Curitiba
16°C
Porto Alegre
18°C
Home >> Último Segundo >> Após bombardeios em Gaza, Israel diz que Hamas está perto de dissolver

Após bombardeios em Gaza, Israel diz que Hamas está perto de dissolver

Israel intensificou os bombardeios no sul do enclave palestino

por

iG Último Segundo

12 de dezembro de 2023

IG

Em meio à escalada do conflito entre o Hamas e Israel, a retirada dos estrangeiros da Faixa de Gaza passou a ser prioridade diplomática. O governo do Qatar também participa do acordo.Reprodução: Flipar

As Forças de Defesa de Israel seguem nesta terça-feira (12) com novos bombardeios na a Faixa de Gaza, agora com mais foco no sul do enclave. Segundo as FDI, sua campanha para destruir o Hamas deixou o grupo armado palestino “à beira da dissolução”.

“O Hamas está à beira da dissolução, as FDI (Forças de Defesa Israelense) estão ocupando seus últimos redutos”, afirmou na segunda-feira à noite o ministro israelense da Defesa, Yoav Gallant.

Fontes médicas palestinas afirmaram à Al-Jazeera que pelo menos 20 pessoas foram mortas em Rafah, no sul do enclave, incluindo sete crianças e pelo menos cinco mulheres.

Três casas foram destruídas pelas greves na zona norte da cidade. Teme-se que as pessoas estejam presas sob os escombros.

Dezenas de milhares de palestinos deslocados do norte fugiram para Rafah após ordens de evacuação do exército israelense, mas a cidade foi alvo de fortes bombardeios nos últimos dias.

ONU volta a pedir cessar-fogo

A Assembleia Geral da ONU está marcada para se reunir na terça-feira para discutir um “cessar-fogo humanitário imediato”.

A última vez que a Assembleia Geral se reuniu sobre este tema foi em 27 de Outubro, quando 120 países votaram a favor de uma resolução jordaniana que apelava a uma “trégua humanitária imediata, duradoura e sustentada que conduzisse à cessação das hostilidades”.

O Egito e a Mauritânia invocaram a Resolução 377A (V) para convocar hoje uma reunião de emergência da Assembleia Geral, que afirma que se o Conselho de Segurança não for capaz de assumir a sua responsabilidade primária de manter a paz, a AG pode intervir.

O ministro da Defesa de Israel rejeitou os apelos internacionais por um cessar-fogo, dizendo que a fase atual do que Israel diz ser uma operação contra o Hamas “levará tempo”.

“Vamos nos defender. Estou lutando pelo futuro de Israel”, disse Yoav Gallant, membro do gabinete de guerra de três homens de Israel, em entrevista à Associated Press.

No norte os embates continuam

Depois de sitiar e bombardear o Hospital Kamal Adwan durante vários dias, as forças israelenses invadiram o local nesta terça-feira (12), no norte de Gaza, disse um porta-voz do Ministério da Saúde.

Numa publicação no Telegram, Ashraf al-Qudra acrescentou que as forças israelitas reuniam homens – incluindo o pessoal médico – no pátio do hospital, que temia que pudessem ser presos.

“Apelamos às Nações Unidas, à Organização Mundial da Saúde e ao Comité Internacional da Cruz Vermelha para que atuem imediatamente para salvar as vidas das pessoas hospitalizadas”, acrescentou.

Faixa de Gaza Guerra haas Hamas Israel

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.