São Paulo
16°C
Rio de Janeiro
21°C
Brasília
18°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
26°C
Recife
27°C
Manaus
26°C
Curitiba
12°C
Porto Alegre
14°C
Home >> Economia >> O primeiro pilar da Capelania Corporativa: saber ouvir

O primeiro pilar da Capelania Corporativa: saber ouvir

Revela-se como a principal estratégia diante das crises de depressão

por

Solange Muzy

30 de dezembro de 2023

IG

Primeiro pilar da Capelania Corporativa: saber ouvir FreePik

No cenário contemporâneo, onde as demandas emocionais e psicológicas se entrelaçam com o ambiente corporativo, a Capelania Corporativa emerge como uma abordagem crucial para lidar com questões complexas, especialmente aquelas relacionadas à saúde mental. Dentro desse contexto, o primeiro pilar da Capelania Corporativa se revela fundamental: a habilidade de saber ouvir. Este artigo explora a importância dessa competência, destacando sua aplicação prática em situações delicadas, como as crises de depressão e as intenções suicidas.

O Primeiro Pilar: Saber Ouvir

A habilidade de ouvir atentamente é o alicerce sobre o qual a Capelania Corporativa se sustenta. Em situações de crise, como as ligadas à depressão e ao risco de suicídio, a capacidade de escutar torna-se ainda mais crucial. Não se trata apenas de ouvir, mas de ouvir muito e com atenção. Nesse contexto, os capelães desempenham um papel crucial como ouvintes empáticos, oferecendo um espaço seguro para a expressão dos pensamentos e sentimentos do indivíduo em crise.

Estratégias de Atendimento em Crises Suicidas

Diante de casos de depressão e pensamentos suicidas, o atendimento demanda uma abordagem sensível e eficaz. Os elementos básicos desse processo incluem:

1. Ouvir Profundamente

Em muitos casos, a pessoa em crise necessita compartilhar seus pensamentos e emoções. O ato de ouvir, portanto, torna-se terapêutico. O capelão deve oferecer um espaço seguro e não julgador, incentivando a expressão franca dos sentimentos do paciente.

2. Aceitação e Tolerância à Ambivalência

A aceitação dos próprios sentimentos, incluindo a tolerância à ambivalência, desempenha um papel crucial. A coexistência de sentimentos opostos é uma realidade perturbadora, e os capelães devem se aliar à parte do paciente que deseja sobreviver, promovendo a aceitação e a compreensão.

3. Ponto de Apoio e Esperança

Oferecer um ponto de apoio é como fornecer uma boia em um mar tumultuado. O capelão e o paciente precisam encontrar esse ponto, mesmo que seja ao fim do primeiro contato. Isso pode ser um ponto de partida para a organização do caos emocional e, simultaneamente, um ponto de esperança que ilumina o caminho em direção à recuperação.

Considerações Finais

Em resumo, o primeiro pilar da Capelania Corporativa, saber ouvir, revela-se como a principal estratégia diante das crises de depressão e das intenções suicidas. O ato de ouvir atentamente, aliado à aceitação e à oferta de um ponto de apoio, proporciona um ambiente propício para a recuperação emocional. Ao adotar essas práticas, os capelães desempenham um papel vital na promoção da saúde mental e no suporte às pessoas em momentos de extrema vulnerabilidade.

Espero que você tenha encontrado propósito e significado na leitura, e tenha sido impactado e se encantado pelo artigo!

Quero muito te ouvir e conhecer a sua opinião! Me escreva no e-mail: solange@valor.org.br Até nosso próximo encontro! Solange Muzy

Pronto para desbravar todo o potencial incrível da Capelania Corporativa em sua empresa? Não perca tempo, entre em contato conosco e vamos explorar juntos como podemos ser seu parceiro na jornada de incorporar a Capelania Corporativa em seus programas de saúde mental, qualidade de vida e bem-estar emocional, de maneira verdadeiramente inspiradora.

Inscreva-se em nossa Newsletter e não perca nenhuma das novidades do programa de Spiritual Care do INSTITUTO VALOR: https://www.institutovalor.org.br/capelania/index.php

Capelania corporativa Solange Muzy

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.