São Paulo
20°C
Rio de Janeiro
25°C
Brasília
20°C
Salvador
27°C
Belo Horizonte
21°C
Fortaleza
26°C
Recife
28°C
Manaus
27°C
Curitiba
18°C
Porto Alegre
22°C
Home >> Economia >> Argentina termina 2023 com inflação de 211,4%, a maior em 33 anos

Argentina termina 2023 com inflação de 211,4%, a maior em 33 anos

As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (11), pelo Instituto de Estatísticas e Censo do país

por

Brasil Econômico

12 de janeiro de 2024

IG

Javier Milei anunciou decreto de desregulamentação da economia argentinaReprodução/JMilei/Casa Rosada/X – 20.12.2023

O Instituto de Estatística e Censos (Indec) da Argentina informou nesta quinta-feira (11) que  inflação no país foi de 211,4% em 2023. Essa é a maior taxa anual desde a hiperinflação em 1990, quando os argentinos lidaram com uma alta superior a 1.300%.

Os resultados de dezembro de 2023 mostram que os preços para o consumidor subiram 25,5% no mês, contra 12,8% em novembro. A disparada é consequência de uma série de medidas do governo de Javier Milei, que tomou posse no mês passado.

Antes de Milei ser eleito presidente, o país já vinha enfrentando uma inflação muito alta. Em novembro, por exemplo, o índice acumulado no ano chegou a 148,2%.

Argentina termina 2023 com maior inflação em 33 anos Inflação 2023 Argentina Javier Milei

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.