São Paulo
16°C
Rio de Janeiro
21°C
Brasília
18°C
Salvador
26°C
Belo Horizonte
20°C
Fortaleza
26°C
Recife
27°C
Manaus
26°C
Curitiba
12°C
Porto Alegre
14°C
Home >> Economia >> 6 dicas para ter mais segurança na mudança de emprego

6 dicas para ter mais segurança na mudança de emprego

Estabelecer parâmetros como salário desejado, tipo de contrato, horário de trabalho e composição de benefícios é fundamental

por

EdiCase

10 de janeiro de 2024

IG

6 dicas para ter mais segurança na mudança de empregoAo buscar por um novo emprego, é importante analisar os principais pontos que provocaram a decisão de mudar de ocupação (Imagem: fizkes | Shutterstock)

Mudanças na trajetória profissional muitas vezes são necessárias e podem representar um avanço importante na carreira. De acordo com dados do Infojobs, 90% das pessoas estão dispostas a trocar de emprego neste momento. Diante desse cenário, os profissionais precisam avaliar a remuneração e benefícios, mas também se o formato de trabalho, modelo de contratação, requisitos técnicos e comportamentais para a colocação e cultura da empresa estão de acordo com as metas pessoais. 

Entenda se a nova empresa tem o que você procura

Para Miklos Grof, CEO da Company Hero, plataforma que protege e garante a renda, a saúde e os bens de profissionais que atuam por conta própria e donos de negócio, a falta de informações adequadas sobre o mercado de trabalho pode desencorajar profissionais a buscarem melhores oportunidades.

“Quem não conhece alguém que gostaria de mudar de emprego, mas tem medo? Esse sentimento é bastante comum e pode surgir nos profissionais por falta de informação para planejar essa mudança de forma segura, sem prejudicar a estabilidade financeira”, afirma.

Pensando na tranquilidade dos profissionais que desejam mudar de emprego, o CEO da Company Hero lista 6 dicas de como planejar essa mudança de forma equilibrada e segura. Confira!

1. Entenda a situação atual e onde deseja chegar

Ao começar uma jornada em busca de um novo emprego, é importante analisar os principais pontos que provocaram a decisão de mudar de ocupação. “A partir disso, liste de forma clara quais serão os critérios que a sua nova vaga deve possuir. Estabelecer esses parâmetros mínimos como salário desejado, tipo de contrato (PJ, CLT ou por projeto), horário de trabalho e fazer cálculos sobre o pacote de remuneração e benefícios, ajudará na hora de buscar e selecionar as vagas que façam mais sentido para o momento e aspirações atuais”, reforça Grof.

2. Tenha clareza sobre a função que deseja ocupar

Se o profissional deseja se manter na mesma função que atua, precisa saber o que o mercado espera para essa posição. “Conhecer as qualificações necessárias, tempo de experiência e outras habilidades são essenciais para direcionar as buscas e entender se o profissional precisa desenvolver alguma habilidade. Se quiser trocar de área, também precisa saber para onde quer ir e focar nessas vagas na hora de fazer suas pesquisas”, comenta o executivo.

3. Invista em cursos e revise o currículo

Para Grof, se manter atualizado das novas práticas e qualificações para atender às exigências do mercado de trabalho, demonstrando comprometimento com o desenvolvimento profissional é fundamental para uma recolocação.

“Investir em cursos para aprimorar habilidades técnicas e comportamentais, se qualificar para atender as demandas do mercado, demonstra comprometimento com a carreira e desenvolvimento. Isso pode ser visto como um grande diferencial para as empresas contratantes”, complementa.

4. Pesquise por vagas antes de pedir demissão

Antes de pedir demissão, pesquisar vagas que atendam aos critérios pessoais e agendar entrevistas é o primeiro passo para garantir segurança. “Manter a responsabilidade no emprego atual e comunicar antecipadamente a saída poderá assegurar uma transição suave. Além de deixar portas abertas, evitando que os colaboradores que ficam tenham problemas com organização das demandas”, explica Grof.

5. Crie uma reserva de emergência 

Criar uma reserva de emergência para cobrir seis meses de despesas e assegurar suporte financeiro é uma etapa fundamental para garantir tranquilidade na transição de carreira, principalmente se atua ou atuará como um profissional por conta própria.

“Planejar porcentagens específicas para distribuir sua nova renda entre despesas básicas, educação, saúde e investimentos de longo prazo e considerar fontes de renda extra são opções viáveis para acelerar esse passo”, complementa.

6. Considere um seguro de renda

Por fim, uma dica valiosa é considerar um seguro de renda, uma solução para os profissionais por conta própria se planejarem para situações de imprevisto. “O seguro Renda Protegida paga até R$ 9 mil por mês por até 90 dias em que o profissional não puder trabalhar por conta de uma doença ou acidente”, finaliza.

Por Pérola Rodrigues

carreira edicase Empreendedorismo Negócios Trabalho

Esteja sempre por dentro!

Assine nossa newsletter e receba as principais informações em seu e-mail.